OBRIGADO.

Seu cadastro foi realizado com sucesso.

    Inscrição no blog

    Cadastre-se para receber noticias e novidades sobre o Professor Walter Vicioni Gonçalves, diretamente em seu email.



Blog do Professor Walter Vicioni Gonçalves

“Vamos começar a mudar a formação de professores no Brasil”, afirma superintendente do SESI-SP

Publicado em 27 de julho de 2015 - 17:26h

Concedi entrevista ao Portal Universia Brasil sobre o projeto inédito da Faculdade SESI-SP. Leiam.

“Vamos começar a mudar a formação de professores no Brasil”, afirma superintendente do SESI-SP

 A faculdade SESI-SP oferecerá cursos focados na Licenciatura, e não no Bacharelado, e terá a primeira turma já em 2016, segundo Walter Vicioni

universiaNo Estado de São Paulo, o SESI é conhecido por ter uma rede de ensino com pouco mais de 170 escolas, que oferecem cursos em modalidades que vão desde a Educação Infantil até a Educação Profissional Técnica. No dia 14 de julho, porém, o Ministério da Educação homologou a criação da faculdade SESI-SP para três cursos: Linguagens, Ciências da Natureza e Ciências Humanas, ampliando a atuação do serviço na formação dos estudantes paulistas.

Segundo o superintendente estadual Walter Vicioni, o projeto – que demorou aproximadamente três anos para ser elaborado e aprovado –, tem como objetivo formar professores para a Educação Básica e, por isso, os cursos têm foco na Licenciatura e não no Bacharelado. “A faculdade não vai formar professores de Física, Biologia ou Química. Ela formará um professor que vai trabalhar com os conteúdos de Ciências da Natureza”, afirma Vicioni, que aponta o fato de o próprio currículo do SESI ser organizado também por áreas como razão para esta escolha.
Esta equivalência é importante, porque a intenção dos idealizadores da faculdade é justamente contratar os alunos depois de formados, como fica claro na declaração do superintendente:“aprovado, o estudante tem um contrato de trabalho com o SESI, cujo salário está na média das escolas privadas”.

Mas a experiência profissional não começa apenas após a conclusão do quarto ano de faculdade. Para Walter Vicioni, a inovação do SESI- SP está em promover a experiência profissional supervisionada dos estudantes ainda enquanto estes são calouros: “nós vamos ter uma residência educacional concomitantemente aos estudos acadêmicos, ou seja, o aluno vai ter uma vivência profissional remunerada e, com esse salário, poderá pagar a faculdade”, afirma ele. Estas primeiras experiências profissionais poderão ser realizadas em qualquer unidade do SESI em São Paulo, inclusive na Vila Leopoldina, escola que sediará a faculdade.

Os cursos custarão 900 reais e, embora ainda não tenha sido definida, a remuneração dos estudantes será superior a este valor, com direito a vale transporte e refeição. Vicioni afirma que “é uma faculdade cara, porque queremos que seja reconhecida pela excelência e queremos buscar um pouco da vocação das pessoas: ‘eu quero mesmo ser professor, estou disposto a pagar isso’”. E acrescenta: “há a garantia do financiamento e o trabalho para pagá-lo. O aluno vai ter um contrato de trabalho que, no fundo, é uma vivência profissional que permite que ele atue conforme o ano acadêmico”.
Processo seletivo

Durante as próximas duas semanas, será decidido como funcionará a seleção dos estudantes. Contudo, Walter Vicioni adiantou que a ideia é não apenas fazer um vestibular, mas também integrar dinâmicas, como entrevistas, neste processo.
“Se tiver um grande número de pessoas interessadas – e a gente espera que vá ter – pretendemos fazer, primeiro, uma prova bem estudada, que tenha um grau de discriminação das questões capaz de classificar os alunos. Depois, propor uma redação, porque queremos buscar alunos que saibam ler, escrever e interpretar. E, finalmente, um sistema de dinâmicas com entrevistas para a gente questionar um pouco da vocação dessas pessoas”, esclarece.

Utilizar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio também está em discussão, já que esta prova também permite avaliar os alunos por áreas do conhecimento. Mas ele garante: “nós vamos usar o Enem com certeza”.

No total, os aprovados no processo seletivo terão um pouco mais de 3.000 horas de curso acadêmico, sem incluir as experiências profissionais. Os cursos serão no período noturno, com turmas de até 40 alunos, com previsão de início entre os meses de fevereiro e março de 2016.
O curso de Matemática proposto nos mesmos moldes dos outros três já citados ainda aguarda autorização do MEC.

 

 

Sobre

Walter Vicioni é diretor regional do SENAI-SP, superintendente do SESI-SP e membro do Conselho Curador da Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.


Saiba mais sobre
Walter Vicioni Gonçalves

Redes Sociais

Deixe o seu comentário!

  1. Zenaide Chieregato Siqueira disse:

    Parabéns prof Walter.
    Mais uma conquista para todos nos da família Sesiana!

  2. Ercilia Malta disse:

    Parabéns!Precisamos de professores com boa formação.

2 Comentários para "“Vamos começar a mudar a formação de professores no Brasil”, afirma superintendente do SESI-SP"