OBRIGADO.

Seu cadastro foi realizado com sucesso.

    Inscrição no blog

    Cadastre-se para receber noticias e novidades sobre o Professor Walter Vicioni Gonçalves, diretamente em seu email.



OBRIGADO.

Seu cadastro foi realizado com sucesso.

    Inscrição no blog

    Cadastre-se para receber noticias e novidades sobre o Professor Walter Vicioni Gonçalves, diretamente em seu email.



Blog do Professor Walter Vicioni Gonçalves

Entrevista – Projeto das novas Escolas do SESI e SENAI SP em Caçapava

Entrevista exibida pela TV BAND VALE – Programa BAND CIDADE 2ª Edição – em 20/03/2014

25
mar 2014
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
Entrevista exibida pela TV BAND VALE – Programa BAND CIDADE 2ª Edição – em 20/03/2014

A violência: ação e reação da sociedade brasileira

solidaoNum fim de semana, ao passear numa das ruas movimentadas de São Paulo, vi um homem em altos brados gritar palavrões em direção a uma mulher. Ela, sozinha, assustou-se e apressou seus passos, afastando-se do local.

Distante e como observador, imaginei o que se passava com cada um e o que os levara a essa situação. O homem, provavelmente, procurava alguém em quem descarregar sua raiva, seus delírios ou suas frustrações. Mas ela era o personagem principal. Demonstrava a reação típica de quem hoje vive acuado pela violência.

A mulher se sentiu certamente ultrajada e ofendida, mas sem direito à reação, já que reagir poderia levar ao risco maior, até mesmo à violência física. Saiu de cena evitando os olhares dos que estavam na rua, imaginando o que estariam pensando dela, por ter sido alvo das ofensas. Levou do episódio apenas um sentimento de impotência.

Esse relato é de um dos milhares de casos que acontecem no dia a dia. Não chegam a ser considerados atos de violência frente a ocorrências muito mais graves – como roubos, homicídios e estupros – que se multiplicam.

Nesse mundo de violência, jovens começam a se achar no direito de fazer justiça com suas próprias mãos.  O alvo da atenção é o desencadeador da violência e não a vítima. Nem mesmo o poder público se preocupa em implantar políticas de apoio às pessoas que sofrem agressões. Leia Mais…

21
mar 2014
CATEGORIA
COMENTÁRIOS 21
COMPARTILHAR
Num fim de semana, ao passear numa das ruas movimentadas de São Paulo, vi um homem em altos brados gritar palavrões em direção a uma mulher. Ela, sozinha, assustou-se e apressou seus passos, afastando-se do local.Distante e como observador, imaginei o que se passava com cada um e o que os levara a essa situação. O homem, provavelmente, procurava alguém em quem descarregar sua raiva, seus delírios ou suas frustrações. Mas ela era o personagem principal. Demonstrava a reação típica de quem hoje vive acuado pela violência.A mulher se sentiu certamente ultrajada e ofendida, mas sem direito à reação, já que reagir poderia levar ao risco maior, até mesmo à violência física. Saiu de cena evitando os olhares dos que estavam na rua, imaginando o que estariam pensando dela, por ter sido alvo das ofensas. Levou do episódio apenas um sentimento de impotência.Esse relato é de um dos milhares de casos que acontecem no dia a dia. Não chegam a ser considerados atos de violência frente a ocorrências muito mais graves – como roubos, homicídios e estupros – que se multiplicam.Nesse mundo de violência, jovens começam a se achar no direito de fazer justiça com suas próprias mãos.  O alvo da atenção é o desencadeador da violência e não a vítima. Nem mesmo o poder público se preocupa em implantar políticas de apoio às pessoas que sofrem agressões. (mais…)

Entrevista – Ensino Articulado SESI SENAI

Juntos, o SESI e o SENAI SP formam o profissional do futuro.

 

14
mar 2014
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
Juntos, o SESI e o SENAI SP formam o profissional do futuro. 

Entrevista – Pedagogia do exemplo

É preciso disseminar atitudes éticas, com valores e princípios que contribuam para a criação de uma sociedade efetivamente justa.

13
mar 2014
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
É preciso disseminar atitudes éticas, com valores e princípios que contribuam para a criação de uma sociedade efetivamente justa.

Entrevista – Sistema SESI de Ensino

O essencial do processo educacional é o aprender. E educar, no SESI SP, significa aprender juntos.

12
mar 2014
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
O essencial do processo educacional é o aprender. E educar, no SESI SP, significa aprender juntos.

Título inédito: Vôlei do SESI-SP é o campeão do Sul-Americano Feminino de Clubes

VOLEI 1

Parabéns meninas! Agora, Zurique nos espera para o Mundial de Clubes, em maio.

Boa sorte à equipe!

27
fev 2014
CATEGORIA
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
Parabéns meninas! Agora, Zurique nos espera para o Mundial de Clubes, em maio.Boa sorte à equipe!

No palco, nosso aluno

Já saiu o meu novo artigo na Revista Abigraf – Edição 269 – Jan/Fev 2014.  Confiram. 

Artigo AlunoTantas políticas, tantas decisões, tantas diretrizes. Discute- se com base em teorias pedagógicas, em visões dos políticos, em metas de planos governamentais. Pouco se fala do principal ator do processo educacional: o aluno. Quem é ele? O que ele quer? Quais são seus sonhos e sua realidade? Podemos saber um pouco sobre o aluno com os dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), realizada em 2012, a partir de parceria entre o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Ministério da Saúde, com o apoio do Ministério da Educação.
A pesquisa levantou informações junto a uma amostra de escolares do 9º ano do Ensino Fundamental. A seguir, alguns resultados referentes aos alunos da capital de São Paulo.

O apoio da família – Em relação à família, mais da metade (58,7%) mora com pai e mãe, embora seja expressivo o percentual dos que moram apenas com a mãe (33,5%). Somente 44,3% dos alunos (50,9% na escola particular e 42,7% na pública) responderam que, nos últimos 30 dias, seus pais entenderam seus problemas e preocupações. Também em relação ao último mês, 12,5% dos alunos (10,6% dos meninos e 14,6% das meninas) foram agredidos fisicamente por um adulto da família. Leia Mais…

20
fev 2014
COMENTÁRIOS 23
COMPARTILHAR
Já saiu o meu novo artigo na Revista Abigraf – Edição 269 – Jan/Fev 2014.  Confiram. Tantas políticas, tantas decisões, tantas diretrizes. Discute- se com base em teorias pedagógicas, em visões dos políticos, em metas de planos governamentais. Pouco se fala do principal ator do processo educacional: o aluno. Quem é ele? O que ele quer? Quais são seus sonhos e sua realidade? Podemos saber um pouco sobre o aluno com os dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), realizada em 2012, a partir de parceria entre o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Ministério da Saúde, com o apoio do Ministério da Educação.A pesquisa levantou informações junto a uma amostra de escolares do 9º ano do Ensino Fundamental. A seguir, alguns resultados referentes aos alunos da capital de São Paulo.O apoio da família – Em relação à família, mais da metade (58,7%) mora com pai e mãe, embora seja expressivo o percentual dos que moram apenas com a mãe (33,5%). Somente 44,3% dos alunos (50,9% na escola particular e 42,7% na pública) responderam que, nos últimos 30 dias, seus pais entenderam seus problemas e preocupações. Também em relação ao último mês, 12,5% dos alunos (10,6% dos meninos e 14,6% das meninas) foram agredidos fisicamente por um adulto da família. (mais…)

Entrevista – Cenário da educação no Brasil

Nesta semana, fui o entrevistado do programa Conexão Super Rádio (AM 1150) e falei sobre os rumos da educação no Brasil.

Parte 1:

Parte 2:

Parte 3:

14
fev 2014
COMENTÁRIOS 5
COMPARTILHAR
Nesta semana, fui o entrevistado do programa Conexão Super Rádio (AM 1150) e falei sobre os rumos da educação no Brasil.Parte 1:Parte 2:Parte 3:

FIQUE LIGADO – Edição 27

Acompanhe alguns destaques na nova edição do Jornal Mural do SESI e SENAI SP

Fique Ligado_EDICAO 27

11
fev 2014
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
Acompanhe alguns destaques na nova edição do Jornal Mural do SESI e SENAI SPFique Ligado_EDICAO 27

‘Pai’ do Sistema SESI de Ensino conta como ficarão as escolas de Jundiaí

Entrevista publicada no Caderno Especial do Jornal de Jundiaí – em 02 de fevereiro

Jornal Jundiai

Das sete escolas do SESI instaladas hoje em Jundiaí, haverá, em breve três. Mas elas serão – como afirma o superintendente do Sesi e diretor estadual do Senai, Walter Vicioni, – “grandes escolas”, que funcionarão em período integral e, além de abrigarem ainda mais alunos, gerarão empregos, especialmente para professores.

 Vicioni, que coleciona 44 anos dedicados à educação, incluindo uma passagem por Campinas, onde nas chamadas “escolas de emergência”, na década de 1960, respondeu pela alfabetização de um número sem-fim de crianças, entrou no Sistema “S” pelas portas do Senai, onde permaneceu até 2006. Mas foi após idealizar o Sistema Sesi de Ensino que este professor se consolidou como um visionário do aprendizado contemporâneo.

Para este paulista de 67 anos, a educação deve ser mais que um direito universal. Deve ser uma ferramenta para o desenvolvimento socioeconômico de uma nação. Nesta entrevista, ele dá detalhes dos planos e projetos que Jundiaí pode aguardar.

 Jornal de Jundiaí. O senhor é um dos responsáveis por criar e implantar o Sistema Sesi de Ensino. Conte um pouco esta experiência.

Walter Vicioni. Eu já trabalhava no SENAI e, em 2006, fui chamado para criar no Sesi um plano estratégico visando consolidar a transferência de tecnologia educacional. Surgiu o Sistema SESI de Ensino, que fazendo um comparativo é como um COC, mas ao invés de ser usado pelas escolas privadas é oferecido como um sistema educacional para os municípios. Leia Mais…

5
fev 2014
COMENTÁRIOS 4
COMPARTILHAR
Entrevista publicada no Caderno Especial do Jornal de Jundiaí – em 02 de fevereiroDas sete escolas do SESI instaladas hoje em Jundiaí, haverá, em breve três. Mas elas serão – como afirma o superintendente do Sesi e diretor estadual do Senai, Walter Vicioni, – “grandes escolas”, que funcionarão em período integral e, além de abrigarem ainda mais alunos, gerarão empregos, especialmente para professores. Vicioni, que coleciona 44 anos dedicados à educação, incluindo uma passagem por Campinas, onde nas chamadas “escolas de emergência”, na década de 1960, respondeu pela alfabetização de um número sem-fim de crianças, entrou no Sistema “S” pelas portas do Senai, onde permaneceu até 2006. Mas foi após idealizar o Sistema Sesi de Ensino que este professor se consolidou como um visionário do aprendizado contemporâneo.Para este paulista de 67 anos, a educação deve ser mais que um direito universal. Deve ser uma ferramenta para o desenvolvimento socioeconômico de uma nação. Nesta entrevista, ele dá detalhes dos planos e projetos que Jundiaí pode aguardar. Jornal de Jundiaí. O senhor é um dos responsáveis por criar e implantar o Sistema Sesi de Ensino. Conte um pouco esta experiência.Walter Vicioni. Eu já trabalhava no SENAI e, em 2006, fui chamado para criar no Sesi um plano estratégico visando consolidar a transferência de tecnologia educacional. Surgiu o Sistema SESI de Ensino, que fazendo um comparativo é como um COC, mas ao invés de ser usado pelas escolas privadas é oferecido como um sistema educacional para os municípios. (mais…)

Sobre

Walter Vicioni é diretor regional do SENAI-SP, superintendente do SESI-SP e membro do Conselho Curador da Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.


Saiba mais sobre
Walter Vicioni Gonçalves

Redes Sociais