OBRIGADO.

Seu cadastro foi realizado com sucesso.

    Inscrição no blog

    Cadastre-se para receber noticias e novidades sobre o Professor Walter Vicioni Gonçalves, diretamente em seu email.



OBRIGADO.

Seu cadastro foi realizado com sucesso.

    Inscrição no blog

    Cadastre-se para receber noticias e novidades sobre o Professor Walter Vicioni Gonçalves, diretamente em seu email.



Blog do Professor Walter Vicioni Gonçalves

Formação de formadores: eixo estratégico da educação para o trabalho.

FORMAÇÃO DE FORMADORES: eixo estratégico da educação para o trabalho
Publicado pela revista Em Aberto – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais
Ministério da Educação, Brasília, ano 15, número 65, Jan/Mar.         

Walter Vicioni Gonçalves*

Introdução      

Nos dias atuais, assistimos a uma nova revolução resultante do rápido desenvolvimento tecnológico no domínio da microeletrônica e da informática. O impacto das novas tecnologias sobre o mundo do trabalho tem sido objeto de pesquisas, estudos e debates em razão das mudanças que, certamente, provocarão nos padrões de trabalho e do emprego.

Estamos na presença de fenômenos de origem estrutural que exigem constante vigilância das nações industrializadas e, em particular, das instituições que se ocupam da educação e da formação profissional, independentemente de todas as flutuações econômicas que podem surgir.

A idéia básica que orientará o presente trabalho resulta de um posicionamento diante da questão que coloca a formação dos formadores como uma das principais variáveis ou a principal variável para a necessária adequação das instituições de formação profissional às exigências dos novos tempos. Tal problema encontra, assim, ressonância nos resultados de pesquisas e na afirmação, constantemente reiterada, de que a introdução e a difusão de novas tecnologias provocam profundas modificações na estrutura da qualificação profissional, afetando o modo de executar o trabalho e, conseqüentemente, a forma como a formação profissional vai ser estruturada.

Leia Mais…

8
set 2012
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
FORMAÇÃO DE FORMADORES: eixo estratégico da educação para o trabalhoPublicado pela revista Em Aberto – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas EducacionaisMinistério da Educação, Brasília, ano 15, número 65, Jan/Mar.         Walter Vicioni Gonçalves*Introdução      Nos dias atuais, assistimos a uma nova revolução resultante do rápido desenvolvimento tecnológico no domínio da microeletrônica e da informática. O impacto das novas tecnologias sobre o mundo do trabalho tem sido objeto de pesquisas, estudos e debates em razão das mudanças que, certamente, provocarão nos padrões de trabalho e do emprego.Estamos na presença de fenômenos de origem estrutural que exigem constante vigilância das nações industrializadas e, em particular, das instituições que se ocupam da educação e da formação profissional, independentemente de todas as flutuações econômicas que podem surgir.A idéia básica que orientará o presente trabalho resulta de um posicionamento diante da questão que coloca a formação dos formadores como uma das principais variáveis ou a principal variável para a necessária adequação das instituições de formação profissional às exigências dos novos tempos. Tal problema encontra, assim, ressonância nos resultados de pesquisas e na afirmação, constantemente reiterada, de que a introdução e a difusão de novas tecnologias provocam profundas modificações na estrutura da qualificação profissional, afetando o modo de executar o trabalho e, conseqüentemente, a forma como a formação profissional vai ser estruturada. (mais…)

‘Esperamos que vocês possam deixar um legado’, diz Walter Vicioni a técnicos ingleses de rúgbi

Superintendente do Sesi-SP e diretor Regional do Senai-SP fala sobre investimentos em educação no evento que apresentou projeto de cooperação com British Council e a Premiership Rugby

Edgar Marcel e Flávia Dias – 04/09/2012

Durante o encontro com técnicos britânicos do projeto Try Rugby SP, em evento que anunciou oficialmente a parceria do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) com o British Council e a Premiership Rugby (liga do esporte na Inglaterra), o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, ressaltou a importância dos treinadores no processo educacional dos alunos da instituição.

 

Foto: Júlia Moraes

Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, ressalta importância dos treinadores no processo educacional dos alunos das instituições

“Vocês têm uma missão extraordinariamente importante. Nós queremos que eles [alunos] possam ter a mesma habilidade e o dinamismo que vocês têm. Esperamos que vocês possam nos deixar um legado para que a gente possa multiplicar e atender os nossos alunos para, quem sabe, um dia, eles possam superar a Inglaterra no rúgbi”, afirmou.

Vicioni, também diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), lembrou que as entidades e o British Council sempre estiveram presentes na cultura a nas manifestações artísticas. “E agora, juntas no esporte, colocam em realce o impressionante papel que o presidente Paulo Skaf representa nessas questões, principalmente na educação”, salientou. E emendou: “É por isso que estamos neste processo, tentando inspirar e incentivar os esportes, em especial os olímpicos, do qual o rúgbi vai fazer parte na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro”.

Diretores dos CATS comentam parceria

Heraldo Pimentel, diretor do Centro de Atividade (CAT) Ernesto Pereira Lopes Filho, unidade localizada em São Carlos, afirmou acreditar muito no projeto. “É um marco profundo porque o Brasil sempre foi denominado o ‘país do futebol’, que enfrenta crise atualmente. E esse projeto veio dar um novo início e direcionamento ao rúgbi. Precisamos de uma injeção cultural diferente”, avaliou.

Opinião compartilhada por Alexandre Minghin, diretor do CAT Professor Azor Silveira Leite, em Matão: “Assim como outras ações inovadoras do Sesi-SP, essa é mais uma que nos motiva e dá orgulho. Projetos diferenciados motivam as equipes, e nos empenharemos ao máximo para que tudo dê certo”.

7
set 2012
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
Superintendente do Sesi-SP e diretor Regional do Senai-SP fala sobre investimentos em educação no evento que apresentou projeto de cooperação com British Council e a Premiership RugbyEdgar Marcel e Flávia Dias – 04/09/2012Durante o encontro com técnicos britânicos do projeto Try Rugby SP, em evento que anunciou oficialmente a parceria do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) com o British Council e a Premiership Rugby (liga do esporte na Inglaterra), o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, ressaltou a importância dos treinadores no processo educacional dos alunos da instituição. Foto: Júlia MoraesWalter Vicioni, superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, ressalta importância dos treinadores no processo educacional dos alunos das instituições“Vocês têm uma missão extraordinariamente importante. Nós queremos que eles [alunos] possam ter a mesma habilidade e o dinamismo que vocês têm. Esperamos que vocês possam nos deixar um legado para que a gente possa multiplicar e atender os nossos alunos para, quem sabe, um dia, eles possam superar a Inglaterra no rúgbi”, afirmou.Vicioni, também diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), lembrou que as entidades e o British Council sempre estiveram presentes na cultura a nas manifestações artísticas. “E agora, juntas no esporte, colocam em realce o impressionante papel que o presidente Paulo Skaf representa nessas questões, principalmente na educação”, salientou. E emendou: “É por isso que estamos neste processo, tentando inspirar e incentivar os esportes, em especial os olímpicos, do qual o rúgbi vai fazer parte na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro”.Diretores dos CATS comentam parceriaHeraldo Pimentel, diretor do Centro de Atividade (CAT) Ernesto Pereira Lopes Filho, unidade localizada em São Carlos, afirmou acreditar muito no projeto. “É um marco profundo porque o Brasil sempre foi denominado o ‘país do futebol’, que enfrenta crise atualmente. E esse projeto veio dar um novo início e direcionamento ao rúgbi. Precisamos de uma injeção cultural diferente”, avaliou.Opinião compartilhada por Alexandre Minghin, diretor do CAT Professor Azor Silveira Leite, em Matão: “Assim como outras ações inovadoras do Sesi-SP, essa é mais uma que nos motiva e dá orgulho. Projetos diferenciados motivam as equipes, e nos empenharemos ao máximo para que tudo dê certo”.

Sesi-SP lança projeto de rúgbi que beneficia 10 mil crianças no Estado de SP

Durante o projeto, os 12 técnicos britânicos selecionados pela Premiership Rugby realizarão ações de desenvolvimento do projeto com crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. O projeto entra em vigor a partir do dia 10 de setembro de 2012. “O rúgbi no Brasil ainda está engatinhando e o Sesi-SP dará esta contribuição, até porque nos Jogos Olímpicos de 2016 [Rio de Janeiro] esta modalidade esportiva estará de volta”, afirmou o presidente das instituições.

Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP e diretor Regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), acrescentou: “Vocês têm uma missão extraordinariamente importante. Nós queremos que eles [alunos] possam ter a mesma habilidade e o dinamismo que vocês têm. Esperamos que vocês possam nos deixar um legado ”. Leia Mais…

6
set 2012
CATEGORIA
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
Durante o projeto, os 12 técnicos britânicos selecionados pela Premiership Rugby realizarão ações de desenvolvimento do projeto com crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. O projeto entra em vigor a partir do dia 10 de setembro de 2012. “O rúgbi no Brasil ainda está engatinhando e o Sesi-SP dará esta contribuição, até porque nos Jogos Olímpicos de 2016 [Rio de Janeiro] esta modalidade esportiva estará de volta”, afirmou o presidente das instituições.Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP e diretor Regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), acrescentou: “Vocês têm uma missão extraordinariamente importante. Nós queremos que eles [alunos] possam ter a mesma habilidade e o dinamismo que vocês têm. Esperamos que vocês possam nos deixar um legado ”. (mais…)

‘Ensinar é muito mais que passar conteúdo’

 

 

Para a pesquisadora,
a neurocientista Adele Diamond,
mais que instruir sobre fatos,
escola deve atender às
necessidades sociais e emocionais

 

JORNAL O ESTADO DE SP – Se a escola focar apenas o conteúdo, o processo de aprendizagem não tem a menor chance de ser bem-sucedido. Isso é o que defende a neurocientista Adele Diamond. “Se as necessidades emocionais, sociais e físicas forem ignoradas, não há excelência acadêmica.” Canadense, ela falará no seminário Educação Infantil: Evidências Científicas sobre as Melhores Práticas, promovido pelo Instituto Alfa e Beto, nesta sexta-feira, em São Paulo.

Leia a entrevista completa a seguir… Leia Mais…

3
set 2012
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
  Para a pesquisadora,a neurocientista Adele Diamond,mais que instruir sobre fatos,escola deve atender àsnecessidades sociais e emocionais JORNAL O ESTADO DE SP – Se a escola focar apenas o conteúdo, o processo de aprendizagem não tem a menor chance de ser bem-sucedido. Isso é o que defende a neurocientista Adele Diamond. “Se as necessidades emocionais, sociais e físicas forem ignoradas, não há excelência acadêmica.” Canadense, ela falará no seminário Educação Infantil: Evidências Científicas sobre as Melhores Práticas, promovido pelo Instituto Alfa e Beto, nesta sexta-feira, em São Paulo.Leia a entrevista completa a seguir… (mais…)

Só 17% terminam o fundamental com domínio da matemática

JORNAL O GLOBO – Divulgados há três semanas, os resultados do Ideb, principal indicador da qualidade da educação no Brasil, preocuparam o MEC principalmente pela estagnação do ensino médio de 2009 para 2011. Dados obtidos pelo GLOBO junto ao Inep, autarquia do MEC responsável pelas avaliações, revelam, no entanto, que os problemas que resultam no quadro preocupante do antigo 2º Grau começam antes, já ao final do ensino fundamental, onde o percentual de alunos com conhecimento considerado adequado é de apenas 17% no caso de matemática e de 27% em língua portuguesa. Leia Mais…

3
set 2012
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
JORNAL O GLOBO – Divulgados há três semanas, os resultados do Ideb, principal indicador da qualidade da educação no Brasil, preocuparam o MEC principalmente pela estagnação do ensino médio de 2009 para 2011. Dados obtidos pelo GLOBO junto ao Inep, autarquia do MEC responsável pelas avaliações, revelam, no entanto, que os problemas que resultam no quadro preocupante do antigo 2º Grau começam antes, já ao final do ensino fundamental, onde o percentual de alunos com conhecimento considerado adequado é de apenas 17% no caso de matemática e de 27% em língua portuguesa. (mais…)

Sesi-SP lança programa inédito de rúbgi para jovens

O Sesi-SP lançará no próximo dia 4 de setembro, às 11h, na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), o “TRY RUGBY – SP”, projeto inédito do esporte no Brasil em parceria com o British Council e a Premiership Rugby, a liga do esporte na Inglaterra.

O programa será realizado simultaneamente em 12 unidades do Sesi no Estado de São Paulo, atendendo a 10 mil crianças no período de dez meses. Durante este tempo, os 12 técnicos britânicos selecionados pela Premiership Rugby realizarão ações de desenvolvimento do projeto com crianças e adolescentes de 6 a 17 anos.

As cidades atendidas pelo projeto TRY RUGBY – SP do Sesi serão Matão, Itapetininga, Rio Claro, São Carlos, Votorantim, Indaiatuba, Mogi Guaçu, Tatuí, Piracicaba, Araras, Campinas e Sumaré.

  Leia Mais…

2
set 2012
CATEGORIA
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
O Sesi-SP lançará no próximo dia 4 de setembro, às 11h, na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), o “TRY RUGBY – SP”, projeto inédito do esporte no Brasil em parceria com o British Council e a Premiership Rugby, a liga do esporte na Inglaterra.O programa será realizado simultaneamente em 12 unidades do Sesi no Estado de São Paulo, atendendo a 10 mil crianças no período de dez meses. Durante este tempo, os 12 técnicos britânicos selecionados pela Premiership Rugby realizarão ações de desenvolvimento do projeto com crianças e adolescentes de 6 a 17 anos.As cidades atendidas pelo projeto TRY RUGBY – SP do Sesi serão Matão, Itapetininga, Rio Claro, São Carlos, Votorantim, Indaiatuba, Mogi Guaçu, Tatuí, Piracicaba, Araras, Campinas e Sumaré.  (mais…)

Santa Rita do Passa Quatro ganha nova unidade do Sesi

Santa Rita do Passa Quatro foi o mais novo município do Estado de São Paulo a ganhar uma nova e moderna escola do SESI. O evento de inauguração ocorreu no dia 23 de agosto e contou com a presença dos alunos, pais, funcionários e comunidade. A escola atenderá mais de 800 alunos. Além de oferecer educação em tempo integral para as crianças do ensino fundamental, todos os alunos do ensino médio poderão estudar de forma articulada no Senai de São Carlos.

A moderna instalação educacional foi projetada com 12 salas de aula, duas áreas de convivência, uma biblioteca escolar com acervo atualizado, laboratório de informática educacional com 37 computadores, um laboratório de ciência e tecnologia, uma sala multidisciplinar, quadra esportiva coberta com vestiários e ambientes administrativos, amplos e confortáveis, para atendimento aos pais e professores.

30
ago 2012
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
Santa Rita do Passa Quatro foi o mais novo município do Estado de São Paulo a ganhar uma nova e moderna escola do SESI. O evento de inauguração ocorreu no dia 23 de agosto e contou com a presença dos alunos, pais, funcionários e comunidade. A escola atenderá mais de 800 alunos. Além de oferecer educação em tempo integral para as crianças do ensino fundamental, todos os alunos do ensino médio poderão estudar de forma articulada no Senai de São Carlos.A moderna instalação educacional foi projetada com 12 salas de aula, duas áreas de convivência, uma biblioteca escolar com acervo atualizado, laboratório de informática educacional com 37 computadores, um laboratório de ciência e tecnologia, uma sala multidisciplinar, quadra esportiva coberta com vestiários e ambientes administrativos, amplos e confortáveis, para atendimento aos pais e professores.

Editorial da Folha de SP: A nota de Mercadante

Fonte: Jornal Folha de São Paulo – 29/08/2012

Numa reação apressada aos dados que indicam estagnação na qualidade do ensino médio no país, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante (PT-SP), propôs substituir o atual método de avaliação de alunos e escolas secundárias –a Prova Brasil– pelo Enem.

Numa nota que vai de zero a dez, o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) do ensino médio, apurado com ajuda da Prova Brasil, oscilou de 3,6, em 2009, para 3,7, no ano passado. Insatisfeito com a imagem revelada, Mercadante quer trocar a câmera.

Segundo o ministro, a Prova Brasil usa apenas uma amostragem de cerca de 70 mil estudantes do terceiro ano desse nível de ensino para construir o indicador de desempenho. O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em contrapartida, seria, diz Mercadante, “quase censitário”. Ou seja, abarcaria quase todos os alunos dessa etapa. Leia Mais…

29
ago 2012
CATEGORIA
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
Fonte: Jornal Folha de São Paulo – 29/08/2012Numa reação apressada aos dados que indicam estagnação na qualidade do ensino médio no país, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante (PT-SP), propôs substituir o atual método de avaliação de alunos e escolas secundárias –a Prova Brasil– pelo Enem.Numa nota que vai de zero a dez, o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) do ensino médio, apurado com ajuda da Prova Brasil, oscilou de 3,6, em 2009, para 3,7, no ano passado. Insatisfeito com a imagem revelada, Mercadante quer trocar a câmera.Segundo o ministro, a Prova Brasil usa apenas uma amostragem de cerca de 70 mil estudantes do terceiro ano desse nível de ensino para construir o indicador de desempenho. O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em contrapartida, seria, diz Mercadante, “quase censitário”. Ou seja, abarcaria quase todos os alunos dessa etapa. (mais…)

Incoerência e insensatez: a norma que desqualifica a formação profissional

Publicado na Revista Abigraf (Edição Nº 260 – Junho/Agosto de 2012

A Consolidação das Leis do Trabalho, estabelecida por Decreto-Lei que integra a legislação vigente, determina que é “proibido qualquer trabalho a menores de dezesseis anos de idade, salvo na condição de aprendiz, a partir dos quatorze anos”. Coerentemente, o contrato de aprendizagem tem, no máximo, dois anos. Ou seja, o legislador define que o aprendiz pode iniciar o seu programa de formação profissional aos 14 anos e ao terminá-lo, após dois anos, estará qualificado para exercer a sua profissão em uma empresa, a partir de 16 anos.

No entanto, a Norma Regulamentadora n.º 12 – NR 12 emitida pelo Ministério do Trabalho e Emprego, em seu item nº 12.137, contradiz o que estabelece o Decreto-Lei, ao definir que “os operadores de máquinas e equipamentos devem ser maiores de dezoito anos, salvo na condição de aprendiz, nos termos da legislação vigente”. Estabelece, então, que o aluno com 14 anos, matriculado em programa de aprendizagem industrial, que aprende a operar máquinas e equipamentos, não poderá fazê-lo ao terminar sua qualificação, aos 16 anos. Deverá esperar dois anos, até completar 18 anos. É o ministério das contradições. Leia Mais…

29
ago 2012
CATEGORIA
COMENTÁRIOS 1
COMPARTILHAR
Publicado na Revista Abigraf (Edição Nº 260 – Junho/Agosto de 2012A Consolidação das Leis do Trabalho, estabelecida por Decreto-Lei que integra a legislação vigente, determina que é “proibido qualquer trabalho a menores de dezesseis anos de idade, salvo na condição de aprendiz, a partir dos quatorze anos”. Coerentemente, o contrato de aprendizagem tem, no máximo, dois anos. Ou seja, o legislador define que o aprendiz pode iniciar o seu programa de formação profissional aos 14 anos e ao terminá-lo, após dois anos, estará qualificado para exercer a sua profissão em uma empresa, a partir de 16 anos.No entanto, a Norma Regulamentadora n.º 12 – NR 12 emitida pelo Ministério do Trabalho e Emprego, em seu item nº 12.137, contradiz o que estabelece o Decreto-Lei, ao definir que “os operadores de máquinas e equipamentos devem ser maiores de dezoito anos, salvo na condição de aprendiz, nos termos da legislação vigente”. Estabelece, então, que o aluno com 14 anos, matriculado em programa de aprendizagem industrial, que aprende a operar máquinas e equipamentos, não poderá fazê-lo ao terminar sua qualificação, aos 16 anos. Deverá esperar dois anos, até completar 18 anos. É o ministério das contradições. (mais…)

Filme independente destaca novos modelos educacionais

 Fonte: Site Porvir (www.porvir.org)

Filme La Educación Prohibida

Jovens argentinos de 20 e poucos anos viajaram oito países ibero-americanos para produzir um documentário com o intuito de ajudar as pessoas a refletir sobre o tradicional modelo de educação.  Eles conheceram 45 experiências de ensino não convencionais e entrevistaram 90 educadores e especialistas para tentar apontar novas alternativas educacionais. O resultado dessa viagem é o longa-metragem independente La Educación Prohibida (A Educação Proibida, em tradução livre), lançado mundialmente este mês e que está disponível gratuitamente on-line e também em um formato de distribuição livre, onde qualquer pessoa pode reproduzir o documentário em salas de cinema.

A ideia é fazer com que as pessoas repensem metodologias, valorizem a diversidade educativa, a liberdade pedagógica e curricular. O filme mostra, por exemplo, experiências de diferentes países com o home-schooling, movimento conhecido como ensino em casa ou educação sem escola, que se popularizou nas últimas décadas. (Leia matéria publicada no Porvir sobre pais que preferem educar os filhos em casa) . Leia Mais…

26
ago 2012
COMENTÁRIOS 0
COMPARTILHAR
 Fonte: Site Porvir (www.porvir.org)Jovens argentinos de 20 e poucos anos viajaram oito países ibero-americanos para produzir um documentário com o intuito de ajudar as pessoas a refletir sobre o tradicional modelo de educação.  Eles conheceram 45 experiências de ensino não convencionais e entrevistaram 90 educadores e especialistas para tentar apontar novas alternativas educacionais. O resultado dessa viagem é o longa-metragem independente La Educación Prohibida (A Educação Proibida, em tradução livre), lançado mundialmente este mês e que está disponível gratuitamente on-line e também em um formato de distribuição livre, onde qualquer pessoa pode reproduzir o documentário em salas de cinema.A ideia é fazer com que as pessoas repensem metodologias, valorizem a diversidade educativa, a liberdade pedagógica e curricular. O filme mostra, por exemplo, experiências de diferentes países com o home-schooling, movimento conhecido como ensino em casa ou educação sem escola, que se popularizou nas últimas décadas. (Leia matéria publicada no Porvir sobre pais que preferem educar os filhos em casa) . (mais…)

Sobre

Walter Vicioni é diretor regional do SENAI-SP, superintendente do SESI-SP e diretor da Faculdade SESI-SP de Educação. É membro reeleito do Conselho Curador da Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Foi eleito, em 2018, para ocupar a Cadeira nº 36 da Academia Paulista de Educação.


Saiba mais sobre
Walter Vicioni Gonçalves

Redes Sociais